InícioSem categoriaO cão curioso, um belo texto que nos deixa uma lição de...

O cão curioso, um belo texto que nos deixa uma lição de vida imperdível

A história do cão curioso começa em um lugar distante na floresta. Ali havia uma casa abandonada. Parecia que muitos anos haviam se passado sem que ninguém entrasse. O filhote ficou com medo e não se aproximou por medo de encontrar algo desconhecido.

No entanto, uma semente de curiosidade foi plantada. No dia seguinte o filhote voltou e aproximou-se um pouco mais da casa, mas não se atreveu a entrar. O sol começou a esquentar e a temperatura ficou insuportável. O cachorrinho precisava de um lugar para descansar dos raios quentes.

Depois de hesitar um pouco, ele decidiu entrar. O local estava completamente desabitado. “Olá!” disse o cachorrinho, mas ninguém lhe respondeu. Em um dos cantos havia uma escada.

O pequeno animal decidiu se aproximar. Não viu ninguém. Ele então decidiu subir com muita cautela. Logo, a história do cão curioso mudou completamente.

“Ganhamos a vida com o que recebemos, mas moldamos a vida com o que damos.”

-John Maxwell-

Um encontro inesperado

Quando o cão terminou de subir as escadas, ele se viu em um grande salão. Ao entrar lá, para sua surpresa, encontrou algo que não esperava. Na sala havia centenas de cachorros como ele.

O cachorro curioso sentiu-se muito feliz. Os outros pareciam ser muito amigáveis. Por isso decidiu levantar a pata e cumprimentá-los. Todos retribuíram instantaneamente. O cachorrinho latiu, em sinal de amizade. Os outros também. “Que lugar legal!”, pensou o cão. “Voltarei quando puder!”

Os dias foram passando e desta vez outro cachorrinho chegou ao local. Este era diferente. Muito mais temeroso e prevenido. Passou pelo mesmo que o primeiro. Ele viu a casa e não quis chegar perto dela. Isso o assustou demais. É por isso que ele manteve distância dela.

Sugerido para si:  5 sinais que indicam que seu gato confia em você

O mesmo lugar, um encontro diferente

O segundo filhote observou que havia muitos lugares legais perto do local. Resolveu então voltar, mas sempre manteve distância da casa abandonada. No entanto, um dia caiu uma chuva forte. Ele não teve escolha. Ele teve que entrar na casa.

Como o primeiro, ele entrou por um buraco que rapidamente cavou. Uma vez lá dentro, ele olhou para tudo com bastante cautela. No fundo, ele viu as escadas.

No entanto, ele não se aproximou. O tempo passou e ele começou a sentir frio. Pensou que talvez se subisse ao segundo andar se sentiria um pouco mais quente. Então ele se atreveu.

Subindo, ele viu o grande salão. Ele colocou o focinho para fora e pensou ter visto que o lugar estava desabitado. Mas quando ele entrou encontrou centenas de filhotes como ele. Imediatamente, ele estava em guarda, pronto para atacar. Os outros filhotes fizeram o mesmo.

Ele latiu agressivamente para eles e os outros fizeram o mesmo. Como pôde, saiu rapidamente daquela casa. “Eu nunca vou voltar!”, disse para si mesmo. “Que lugar assustador!”

Ele saiu tão rápido que não conseguiu ver uma placa antiga no chão. Parecia ser um aviso. Tinha uma placa que dizia “Casa dos Espelhos”. Nem o primeiro cachorrinho nem o segundo haviam percebido que viam apenas o reflexo de sua própria imagem.

A lição de vida que a história nos traz

A história do cachorrinho curioso nos mostra uma realidade que muitas vezes ignoramos. O que vemos nos outros é basicamente um reflexo de nós mesmos.

Sugerido para si:  Estudo revela que quanto mais tempo você passar com sua mãe, mais tempo ela viverá

Ao mesmo tempo, recebemos dos outros algo semelhante ao que damos. Quem se relaciona com o mundo de maneira gentil, recebe gentileza. Quem o faz de forma agressiva, recebe o mesmo.

Os seres humanos são geneticamente dotados de uma enorme sociabilidade. Nascemos para viver em grupo. Faz parte da nossa constituição biológica e cultural. Podemos ser egoístas, mas o grupo está sempre no horizonte de todos.

Portanto, os demais são um fator de referência essencial. Por fim, funcionam como uma “casa de espelhos”. O que vemos neles tem muito a ver com o que vemos em nós mesmos, como na história do cachorrinho curioso.

Quando temos dificuldades com o mundo, devemos nos perguntar mais sobre nós mesmos do que sobre os outros. É o mundo que falha? Ou talvez sejamos nós que promovemos vínculos com outros que não são tão positivos? A história do cão curioso nos leva justamente a nos fazer essa pergunta. via:mundosorprendente

Gostou do artigo?

Toque nas estrelas para votar.

Média: / 5. Votos:

Até agora ninguém votou, vote você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

MAIS POPULARES