Menina de 3 anos sobrevive na floresta por 9 dias graças a ajuda de cão

Animais de estimação são ótimas companhias e enchem nossas vidas de alegria, mas também são capazes de salvar nossas vidas em situações extremas. Esta é a história de Karina Chikitova e seu cachorrinho, que a ajudou a sobreviver.

Em 2014, a mãe da menina, Talina Chikitova, viajou com a filha para a pequena cidade russa de Olom para visitar sua mãe.

Talina havia se separado do marido, mas, nesta ocasião, ele cuidaria de Karina enquanto sua mãe e sua avó iam ao campo cortar a grama. Quando voltaram, as mulheres perceberam que não havia ninguém na casa, mas não se preocuparam.

Como o ex-marido morava em uma cidade vizinha, Talina acreditava que ele havia levado a filha para visitar os parentes. Além disso, como as cidades eram muito pequenas, com apenas algumas dezenas de habitantes, a comunicação com dispositivos eletrônicos era praticamente inexistente.

A mulher nada fez para verificar e três dias depois, o pai voltou a Olom, porém, não estava acompanhado da filha. Acontece que quando a garotinha estava dormindo, ele simplesmente foi embora.

Logo, a família assumiu que Karina acordou e, encontrando-se sozinha, saiu de casa para procurá-los; mas na cidade todos os habitantes estavam ocupados e ninguém podia vê-la ou ajudá-la. Desta forma, a menina caminhou e se afastou da aldeia para a taiga.

A taiga, também chamada de floresta de coníferas, é um ecossistema vegetado encontrado no norte do mundo, na fronteira com a tundra ou região polar. Assim, a taiga é uma área muito fria que pode atingir temperaturas de 31° abaixo de zero.

Sugerido para si:  Mulher gasta 4.000 para empalhar seu gato após ele ter morrido atropelado

Percebendo que Karina poderia estar desaparecida, a cidade organizou um grupo de busca nos assentamentos próximos, mas não teve sucesso e a teoria de que a menina estava na floresta fria tornou-se mais plausível.

Os socorristas profissionais logo chegaram para entrar na taiga, mas as chances de uma criança de três anos, ou mesmo um adulto, sobreviver são pequenas. O frio da noite, animais selvagens, mosquitos e falta de comida e água são condições realmente difíceis de superar.

Depois de quase uma semana de buscas, voluntários e socorristas só podiam esperar por um milagre. Os grupos cobriram uma área de 30 quilômetros e também enfrentaram perigos, em uma ocasião tiveram que afugentar um urso. A esperança estava desaparecendo.

Mas no nono dia aconteceu o milagre: um cachorro veio correndo para Olom; ele estava desnutrido, molhado e exausto. Ele também havia desaparecido no mesmo dia que Karina, mas devido à comoção, seus donos não se lembravam dele até então.

Um cão de serviço rastreou o filhote e os socorristas conseguiram encontrar Karina.

Ela estava deitada na grama alta e viu um voluntário chamado Artyom Borisov, para quem estendeu as mãos. O homem não pôde deixar de derramar lágrimas de alegria por ter encontrado a menina viva.

Com muitas picadas de mosquito, Karina foi levada ao hospital onde começou sua recuperação. A menina explicou que sobrevivia comendo frutas e bebendo água, e que à noite, o amigo peludo se deitava ao lado dela para aquecê-la. O filhote até a protegeu de outros animais selvagens e não se separou dela.

Sugerido para si:  Cadela se negava a sair do lugar onde os seus donos a abandonaram

Eles decidiram nomear esse filhote de Nayda, cujo nome significa “altruísta”; pelo ato que salvou a vida de Karina.

A história comoveu a muitas pessoas e um ano depois, o escultor Nikolai Chuchasov fez um monumento chamado “Menina e Cachorro”, localizado em frente ao aeroporto de Yakutsk.

Atualmente, Karina tem 11 anos e estuda balé em escola particular; de vez em quando ele viaja para Olom para ver sua avó e sua salvadora, Nayda. via:tácerto.org


- Publicidade -

MAIS POPULARES

- Publicidade -