8 razões para não deixar o seu gato dormir com você

Sei que é muito difícil resistir a tentação e não permitir que seu gatinho durma na sua cama. Ele sempre faz aquela carinha fofa que derrete o nosso coração e complica a decisão de permiti-lo ficar ou não.

Entretanto, apesar de ser um hábito fofo, há algumas desvantagens que você deve levar em conta. Portanto, continue a ler para saber mais sobre as 8 razões para não permitir que o seu gato durma com você.

1) Sono interrompido

Os gatos são campeões de sono, com cerca de 15 horas por dia, mas seus ciclos de sono não são os mesmos que os nossos. Um gato que cochila o dia inteiro pode estar pronto para competir nas Olimpíadas de gatinhos às 2 da manhã, correndo pela sala e pulando de móveis.

Além dos feitos atléticos, os gatos podem roncar, arranhar ou simplesmente chamar sua atenção durante as horas de sono, o que pode prejudicar sua capacidade de descansar bem e deixá-lo sonolento e lento no dia seguinte.

Um estudo de Distúrbios do Sono da Mayo Clinic descobriu que mais de 20% dos pacientes que dormem com seus animais de estimação dizem que os animais perturbam seu sono.

2) Exposição a detritos da caixa de areia

As caixas de areia são lugares sujos, e as patas dos gatos podem capturar pedaços de lixo e resíduos de gatos, que podem acabar na sua cama.

Sugerido para si:  8 sinais que o seu cão dá quando sente frio

Embora os tapetes de borracha colocados fora da caixa de areia possam reduzir a quantidade de lixo e resíduos que são rastreados pela casa, você não pode eliminá-los inteiramente da sua cama sem torná-la uma zona livre de gatos.

3) Alergias e asma

Até 30% das pessoas têm algum tipo de reação alérgica a cães e gatos, de acordo com a Asthma and Allergy Foundation of America, e as alergias a gatos são duas vezes mais comuns do que as reações a cães, dizem os especialistas.

Os médicos recomendam remover os gatos de casa se alguém for alérgico, mas existem medidas menos drásticas que você pode tomar para aliviar o sofrimento da alergia e da asma.

Ao manter a porta do quarto fechada e usar um bom filtro HEPA, você pode eliminar os gatilhos de alergia e asma enquanto dorme.

4) Uma ameaça para crianças pequenas

O conto da carochinha sobre gatos sugando a vida de crianças adormecidas não está enraizado na verdade, mas ainda é uma boa ideia manter os gatos fora dos quartos onde os bebês dormem.

Os berços são pontos de cochilo atraentes para os gatos, já que são altos, protegidos em vários lados e macios. Mas um gato pode inadvertidamente sufocar uma criança adormecida. Melhor ter cuidado e manter o gato fora.

5) Gatos podem ser difíceis de despejar

Os gatos são criaturas de hábitos e muitas vezes não se adaptam bem às mudanças em seu ambiente.

Sugerido para si:  Sinais que está muito quente para passear com o seu cão

Se de repente você decidir que não quer mais que seu gato durma em sua cama, o animal pode responder à perda de território com um comportamento destrutivo, incluindo arranhar móveis e pulverizar.

Os especialistas recomendam fornecer ao seu gato novos brinquedos para brincar ou uma árvore de gato para subir à noite para dar-lhe outra coisa em que se concentrar.

6) Parasitas e infecções fúngicas

Quando você compartilha sua cama com um gato, você também está compartilhando uma cama com qualquer parasita que o gato esteja abrigando. E alguns desses parasitas podem tornar sua vida miserável.

As pulgas não podem viver nas pessoas, mas elas mordem, deixando para trás vergões que coçam. Da mesma forma, os ácaros cheyletiella podem pular de gatos para humanos, causando uma erupção cutânea com coceira.

Parasitas intestinais felinos, incluindo lombrigas e ancilostomídeos, também podem causar doenças nas pessoas, que são transmitidas através da exposição à matéria fecal do gato.

7) Infecções bacterianas

Passar até oito horas por noite perto de um gato significa que você provavelmente estará exposto às secreções e excreções do animal.

Embora suas chances de contrair uma doença de seu gato sejam baixas, crianças muito pequenas, idosos e pessoas com sistema imunológico comprometido correm maior risco.

Cerca de 25.000 pessoas por ano contraem a febre da arranhadura do gato, uma infecção bacteriana que pode ser fatal para aqueles com imunidade enfraquecida.

Sugerido para si:  6 coisas que você aprende após se tornar tutor de um gato

Como o nome sugere, a doença da arranhadura do gato, ou bartonelose, é transmitida através do arranhão ou mordida de um gato infectado. Causa inchaço dos gânglios linfáticos, febre, fadiga, dor muscular e outros sintomas.

A doença normalmente não tem consequências para a saúde a longo prazo, mas pode permanecer no corpo por vários meses após a infecção inicial. A salmonelose é outra infecção bacteriana que os gatos podem transmitir às pessoas.

Gatos que passam parte do tempo ao ar livre podem comer pássaros ou pequenos animais, e isso os coloca em risco de contraí-lo. Os seres humanos podem ser infectados através do contato com as fezes de um gato doente. Em humanos, a doença causa diarreia, febre e dor de estômago.

8) Infecções por protozoários

Giardíase, criptosporidiose e toxoplasmose são doenças que podem ser transmitidas de gatos para humanos, embora seja altamente improvável que sejam infectadas por contato direto com gatos. Para manter os gatos saudáveis, mantenha-os dentro de casa e agende exames anuais com seu veterinário. Via:reader’s digest


- Publicidade -

MAIS POPULARES

- Publicidade -