12 sinais que o seu gato dá quando sente dor

A eles são atribuídas 7 vidas, mas a verdade é que os gatos sofrem e podem adoecer. Embora seja difícil para você apreciá-lo devido ao seu instinto de sobrevivência, hoje queremos mostrar quais são os principais sinais de dor em gatos.

Se você conhece seu animal de estimação e presta atenção ao seu comportamento, identificará facilmente as alterações que podem alertá-lo para uma lesão ou doença incipiente.

Nesses casos, não atrase a visita ao veterinário e informe-o sobre o que observou. No artigo a seguir mostraremos quais são os 12 sinais de dor em gatos para que você saiba quando um gato está sofrendo algum tipo de dor.

Dor em gatos

Se você convive com um gato, já conhece sua discrição particular para exteriorizar seus momentos de dor ou fraqueza, bem como a enorme variabilidade que existe entre eles no que diz respeito à relação com a dor.

Não existem 2 gatos que se comportem da mesma forma diante da dor. Quando um felino sente dor, ele tenta por todos os meios diminuir sua presença não se movendo. Já seus ancestrais das terras áridas do norte da África tiveram que manter a integridade para não se tornarem presas fáceis para seus predadores.

Afinal, a dor é um mecanismo de proteção que os felinos sabem administrar perfeitamente, embora dificulte que os humanos a detectem em tempo hábil. De fato, quando um gato está ferido ou doente, ele não para de ronronar porque isso o acalma.

Sugerido para si:  8 dicas para acalmar um cão assustado durante fogos de artifício

Da mesma forma, você deve saber que durante os processos de doença ou lesão, os gatos liberam feromônios interdigitais, portanto, se seu gato está passando por essa situação, você deve trabalhar na higiene, principalmente se ele convive com outros gatos para que eles não percebam.

As mudanças comportamentais em gatos idosos não devem ser subestimadas, pois em muitas ocasiões sua apatia, isolamento ou perda de apetite são indicativos de condições que requerem tratamento.

Pesquisa sobre sinais de dor em gatos

Em 2017, um grupo internacional de veterinários realizou uma investigação tentando obter um certo consenso médico sobre quais são os sinais mais evidentes de dor em gatos.

As conclusões foram publicadas na revista científica Plos One. O destaque deste estudo é a classificação de até 25 sinais inequívocos de desconforto em gatos que, caso ocorram, facilitarão a orientação de exames veterinários.

Por sua vez, os sinais necessários são distinguidos dos suficientes. Para você entender facilmente, o estresse é um sinal necessário de dor, mas não suficiente, pois sempre que o animal sente dor, o estresse concorre.

Por sua vez, o estresse não indica inevitavelmente que há dor, pelo menos não de natureza física, embora sua presença retarde a recuperação, especialmente em gatos hospitalizados.

Sinais de dor em gatos

A classificação traçada pela Dra. Isabella Merola e Daniel Mills, professor da Universidade de Lincoln, coloca cirurgia e doença como gatilhos prioritários de dor em felinos. Esta classificação é fundamentada nas seguintes categorias:

Sugerido para si:  4 maneiras simples de fazer seu gato beber mais água

1) Falta de movimento e brincadeira devido à osteoartrite

A dor nas articulações o impede de se mover. Portanto, você pode ver que ele dorme em horários inusitados, que dificilmente brinca ou que se alivia fora da caixa de areia.

2) Falta de apetite

O jejum é um sinal inequívoco de que algo está errado. Por sua vez, se a falta de apetite se mantiver ao longo do tempo, certamente causará um problema no fígado.

3) Falta de higiene

O desconforto reduz o desejo de se arrumar, mostrando sua pelagem com uma aparência eriçada, áspera e sem brilho. A nitidez das unhas também pode ser relegada a segundo plano.

Em outras ocasiões, o gato pode se lamber compulsivamente ou moderar determinada parte de sua anatomia, o que o incomoda, levando a mutilações.

4) Irritabilidade e agressividade

Quando você o acaricia, seu gato foge ou puxa as orelhas para trás como sinal de ataque. Se se repetir num curto espaço de tempo não deve atrasar a visita ao veterinário.

5) Vocalização excessiva

Em algumas ocasiões, o gato não para de miar ou rosnar, por exemplo, quando você interage com ele. A menos que você tenha um siamês, seu gato está tentando expressar desconforto emocional. Algo o estressa ou aflige.

6) Posturas antálgicas

Se sentir dor intensa, o animal tenta adotar a postura que alivia a referida dor. Você verá que ele anda curvado ou que passa muito tempo deitado com as patas dianteiras estendidas.

Sugerido para si:  7 coisas que as pessoas fazem que os gatos odeiam

7) Sialorreia ou salivação excessiva

Se você aprecia que seu animal de estimação não para de ir e vir ao comedouro, preste atenção na salivação dele. Pode acontecer que o excesso disso esteja dificultando sua capacidade de engolir.

8) A presença da membrana nictitante

Geralmente é comum em gatos febris. Mesmo com os olhos abertos você pode ver essa terceira pálpebra. Se o seu gato reage à luz ou mostra espasmos da pálpebra, pode ser devido a uma patologia ocular.

Do ponto de vista clínico, existem outros sinais de dor que exigem ação médica. Nós nos referimos a:

  • Frequência cardíaca e/ou respiratória alta.
  • Um aumento da pressão arterial.
  • A dilatação das pupilas.
  • A palidez das membranas mucosas.

A prioridade nesse sentido é que você observe o comportamento do seu gato e que se detectar algo incomum, consulte o veterinário.

Ele orientará os exames (raios-X, exames de sangue ou urina…) para encontrar o tratamento adequado. Claro, nunca automedique seu gato e muito menos com medicamentos para uso humano. As consequências podem ser fatais. via:soyungato

Gostou do artigo?

Toque nas estrelas para votar.

Média: / 5. Votos:

Até agora ninguém votou, vote você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

MAIS POPULARES